domingo, 19 de setembro de 2010

Etiqueta ao telefone



Ter bons modos ao telefone pode fazer uma enorme diferença na carreira de uma pessoa e também nos seus relacionamentos. Alguns erros mais comuns podem deteriorar um contato, uma amizade ou um negócio.
  • Ao atender ao telefone, diga o seu nome e pergunte "em que posso ajudar?". Evite perguntar quem fala, e só faça esta pergunta se realmente não conseguir identificar quem está falando.
  • Se a pessoa se identificar usando o título de doutor, professor, etc., trate-o pelo título, nunca somente pelo nome.
  • Enquanto estiver falando ao telefone, não faça outras coisas como digitar, mexer com papéis etc. A pessoa do outro lado da linha, com certeza, vai perceber e pode achar que você não está lhe dando a devida atenção.
  • Não coma enquanto estiver ao telefone. Mesmo o som de uma simples bala, chiclete ou pastilha é percebido pelo interlocutor e pode ser interpretado como desleixo de sua parte.
  • Evite bocejar, tossir, espirrar, arrotar ou limpar o nariz, quando estiver ao telefone, preservando de ser considerado mal educado. Peça licença por um momento, afaste-se do aparelho por alguns instantes e quando retornar, agradeça por terem esperado. Não precisa explicar o motivo.
  • Se precisar deixar o aparelho por alguns instantes, coloque-o com cuidado sobre a mesa para não fazer barulho. Quando retornar, agradeça por terem esperado por você.
  • Durante uma reunião se tiver de atender um telefonema, peça licença aos demais, atenda e, ao desligar, desculpe-se pela interrupção. O ideal é não interromper reuniões para falar ao telefone e manter celular desligado ou no tom silencioso.
  • Se você recebeu uma ligação e precisa de algum tempo para dar uma resposta, ou não puder conversar naquele momento, comprometa-se a ligar, informando a que horas telefonará. E cumpra o que foi prometido.
  • No entanto, se você faz a ligação, e a outra pessoa precisa de um tempo para dar uma resposta, pergunte quando e a que hora você pode voltar a ligar. Mas se ela se comprometer a ligar mais tarde, não insista ligando novamente. Espere que a pessoa lhe dê o retorno, exceto se for uma resposta sobre negócios. Aguarde alguns dias, e volte a ligar.
  • Sempre que ligar ou atender o telefone, esqueça seus problemas pessoais. Sua voz deve soar calma e agradável, por mais que esteja sobrecarregado de trabalho.
  • Lembre-se: quem faz a ligação deve desligar primeiro. Esta regra só deve ser quebrada quando o outro estende demais a conversa e não percebe que está na hora de desligar, mesmo depois de você dizer que está muito ocupado ou que tem um compromisso urgente naquela hora. Uma saída educada é interromper a conversa dizendo "foi um prazer receber sua ligação, mas eu preciso desligar". Se mesmo assim a outra pessoa não desligar, você pode se despedir e desligar primeiro.

Hóspedes



Quem aguarda convidados para passar uns dias em sua casa e está no meio de uma reforma, com problemas pessoais ou no trabalho deve adiar o convite. Lembre-se que em momentos mais tranquilos, você pode curtir melhor a visita de uma amiga, fazendo com que se sinta bem recebida.

Manda a etiqueta que, ao convidar alguém para se hospedar em sua residência, você mesmo deve sugerir a data inicial e final para a permanência de sua hóspede. Isso pode ser feito de uma forma muito delicada. Se uma pessoa lhe diz que gostaria de passar alguns dias em sua casa, você pode sugerir: " - Por que você não vem para o jantar na sexta-feira e fica até o domingo? Ficaremos contentes com sua visita. " Convidando assim — fixando datas — a hóspede saberá quanto tempo durará sua estada.

É bom ter em mente que receber hóspedes requer disciplina, atenção e carinho. Para começar, você deve preparar um
quarto especialmente para sua hóspede. Mas se não tem um quarto disponível, isso não é motivo para recusar hospedagem a uma pessoa querida, nesse caso, um sofá-cama na sala de TV ou no escritório resolve o problema. O que não pode faltar são itens como roupa de cama limpa, lugar para a mala e artigos de higiene no banheiro, que deixarão sua hóspede bem acolhida.

Uma coisa importante para todo anfitrião é explicar como funcionam os equipamentos, inclusive a máquina de lavar, o forno e os hábitos domésticos. Abra os armários, mostre onde guarda as coisas na cozinha e nunca deixe de ser você mesma, para agradar a ninguém. Se você tem algum hábito, que considera imprescindível, esclareça. Se você não gosta que andem de salto no sinteko da sua sala, ou entrar com sapatos em casa; disponibilize chinelos ou pantufas. Porém, não seja inflexível e não tenha um ataque de nervos se seu hóspede quebrar um copo ou colocar a mala sobre a cama.

Se notar que a pessoa circula pela casa com roupas íntimas e isso lhe incomodar ou causar constrangimento ao seu marido ou filhos, explique a rotina em detalhes. E se fumar em casa incomoda, coloque ainda essa observação. Logicamente um modo de falar com delicadeza e camaradagem não irão causar mágoas.


Também descubra discretamente quais são os gostos alimentares, seus hábitos, o que gosta e o que não gosta. Isso evita que você prepare um prato delicioso e sua hóspede está em dieta. E não saia de sua casa deixando-a sozinha, a menos que seja imprescindível. Deixe à disposição de sua hóspede: toalhas de banho e rosto, sabonete, pasta e escova de dentes. No verão, se no quarto de hóspedes não tiver aparelho de ar-condicionado, deixe um circulador de ar; no inverno, um aquecedor. À noite, antes de deitar, para um maior conforto, deixe uma jarra de água e copo disponível.

Você também deve fazer uma programação de passeio em que possa acompanhá-la, porém reservando um tempo para que ela
possa ficar só. Coloque-se à disposição mas não insista em programas que sua hóspede não mostre interesse.

SE VOCÊ FOR HÓSPEDE


Hóspede ideal é aquele meio invisível, ou seja, que não interfira no cotidiano doméstico. Se seu anfitrião ou anfitriã não puder passear com você ,é melhor se virar sozinha. Mantenha a arrumação geral, a higiene do banheiro, guarde sua roupa íntima e conserve a louça limpa. Procure saber onde tem papel toalha, desinfetante, pano de chão e perceba o ritmo doméstico.

Se todos acordam cedo, por exemplo, não chegue em altas horas da balada. E cuidado com o limite da intimidade: não seja espaçosa, e não traga seus amores ou ficantes de uma noite.
Seja prestativa, prepare um chá ou café. Se você sabe cozinhar bem e quem a recebe estiver de acordo, promova um jantar.

Evite ser inconveniente, forçando seus anfitriões a mudarem todas as rotinas da casa para atendê-la. Se
você tem dietas especiais, ofereça-se para comprar e fazer seu próprio alimento. É sempre elegante se oferecer para ajudar nas tarefas da casa, lavar a louça, mas é uma obrigação arrumar a cama ao levantar-se.

Uma hospedagem na casa de amigos nunca deve ultrapassar uma semana, e jamais prorrogue o período combinado. Uma dúvida sempre surge quando aparece um convite para ficar na casa de amigos: é necessário levar roupas de cama e
banho? Não existe problema algum em perguntar aos anfitriões sobre isto. Aproveite e questione se é preciso levar mais alguma coisa. No passado, esse gesto era interpretado quase que como ofensa, porém atualmente é visto como sinal de amizade, consideração e moderação.

Antes de ir embora gratifique a empregada, se houver, e e
vite deixar rastros de sua passagem pela casa. Ao usar o banheiro, mantenha-o limpo. Não deixe roupas e sapatos espalhados e seja cuidadosa quanto às suas observações. Se o assunto é familiar, não se intrometa. E se sentir que sua presença possa estar causando constrangimentos; encurta a sua hospedagem.

Diplomacia e gentileza



Os tempos mudaram, a sociedade mudou, a vida acelerou, os gestos se tornaram apressados. A globalização nos faz apressados, no trabalho e em nossos lares, mas a gentileza, a diplomacia, a palavra dita corretamente na hora certa, a polidez no trato para com as pessoas, isso nunca é demais, mesmo porque todo ser humano — tenha ele a posição social que tiver — merece ser respeitado e tratado com dignidade.

Etiqueta Social não é somente saber se portar à mesa ou ter gestos elegantes. Etiqueta é principalmente, respeitar-se e
respeitar outras pessoas. A delicadeza ao se expressar, saber entrar e sair de qualquer ambiente, isso é etiqueta e acima de tudo, demonstra boa educação. Seguir a etiqueta é estar atento a normas simples que, sendo aprendidas e constantemente praticadas, acabam se tornando um modo de viver e melhoram sua imagem e relacionamento pessoal.

É preciso, porém, tomar cuidado com pequenas ações que revelam desatenção e falta de respeito. Chegar em um local e não cumprimentar outras pessoas presentes; dar gargalhadas ruidosas, rir dos erros alheios, criticar alguém na frente dos outros, não retribuir um sorriso, não retornar um telefonema, não agradecer um elogio, não expressar gratidão ao receber um presente, não cumprir algo prometido, pode resultar numa imagem negativa.

Também sussurrar ou rir em um templo religioso, falar mal de uma pessoa ausente, começar a comer logo depois de sentar à mesa ou conversar enquanto um artista ou palestrante se apresenta, ler enquanto outros estão conversando ou conversar enquanto outros estão lendo, demonstram desrespeito com os outros. Cortar unhas na presença de outras pessoas, deixar um convidado sem lugar para sentar, tocar numa obra de arte sem estar autorizado, são alguns dos erros imperdoáveis, que podem estigmatizá-lo para sempre.

sábado, 18 de setembro de 2010

Etiqueta Social: Pontualidade




Pontualidade é algo que demonstra consideração e o contrário é verdadeiro. Deixar os outros esperando por sua presença, além de ser uma descortesia é algo que pode ser considerado como arrogância de sua parte, colocando-se mais importante que os demais.

Um convidado ou visitante nunca deve chegar nem muito cedo e nem muito tarde. O ideal é entre 15 a 30 minutos antes do compromisso; assim manda a etiqueta. E quem convida para um jantar ou reunião não deve submeter os convidados presentes aos atrasos de outros.

Após 15 minutos do horário marcado, o anfitrião deve dar início à reunião ou mandar servir o almoço ou jantar. Ao chegar, antes de juntar-se aos demais o retardatário deve desculpar-se com todos os presentes por ter retardado a refeição.

Se os 15 minutos de tolerância já se esgotaram e o jantar já teve início, o retardatário só deve ser servido com o que estiver sendo servido no momento. Caso chegue no momento da sobremesa, o anfitrião irá à cozinha e servirá apenas uma porção do prato principal.
A falta de pontualidade é uma gafe imperdoável. Logicamente podem ocorrer contratempos devido ao trânsito, distância e outros, mas isso deve ser previsto sempre que marcamos um encontro com alguém.

Pior ainda se você for o anfitrião. Se você convida alguém para um almoço ou uma conversa de negócios, não pode chegar atrasado. Você não tem esse direito. Se for inevitável, tenha a consideração de avisar por telefone imediatamente explicando o motivo. Isso é profissionalismo e elegância.



quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Jantar à francesa



Existem cinco tipos de serviço para um jantar e hoje vamos comentar sobre o jantar à francesa. O tipo de serviço a ser utilizado em um jantar depende, entre outros, da formalidade da ocasião. A França tem o mais elegante e formal tipo de serviço de mesa o “serviço à francesa”. É o modo mais elegante, sofisticado e cerimonioso de servir com os anfitriões sentados vis-à-vis, ou seja, um em frente ao outro.

As características desse serviço são geralmente utilizadas em jantares e banquetes formais e normalmente se vê em bons restaurantes, navios, embaixadas e em situações protocolares. Porém nada impede que você organize um belo jantar à francesa para surpreender seus amigos em sua própria casa. É uma forma de homenagear seus convidados, e com certeza, estará valorizando a sua imagem como anfitriã.

Ornamentação e ambientação

A ornamentação dos pratos é feita com arte para encantar os convidados e os utensílios devem ser de boa qualidade, havendo harmonia com a decoração, toalha da mesa e talheres. A ambientação é importante já que uma sala de jantar com flores muito perfumadas ou o ambiente excessivamente quente ou frio retira da refeição todo o glamour e o conforto que se quer transmitir. Por isso, mais importante que o requinte é a ambientação agradável. As velas dão um toque sofisticado a um jantar e devem ser acesas antes de iniciar o serviço.

O menu da refeição deve levar em consideração principalmente o gosto dos convidados, como também o motivo do evento. A época também influencia na escolha do menu: pratos e sobremesas mais leves para o verão e mais substanciais no inverno. As iguarias nunca devem ser de difícil manuseio, com ossos, espinhos ou alimentos duros, que também é uma falta de cortesia com o convidado.

O tamanho da mesa determina o número de convidados. Em geral, calcula-se 75 cm de largura por pessoa, e o lugar de honra é sempre à direita dos anfitriões. É elegante não colocar casais sentados lado a lado e a hierarquia deve ser seguida na disposição dos lugares. As pessoas de maior hierarquia e os mais idosos ocupam os lugares perto dos anfitriões e os mais jovens ocupam as posições mais distantes. Uma forma de evitar constrangimentos ao dispor os convidados é utilizar o Placement, um cartão com o nome do convidado disposto à frente do prato determinando o lugar a ser ocupado à mesa.

Como servir

A mesa será posta de acordo com o cardápio que será oferecido e todo o serviço deve ser feito pelos garçons e copeiros que devem estar instruidos do gênero de serviço, evitando que o anfitrião se ausente da mesa. Importante ainda é a postura e a apresentação do serviçal. O cardápio deve ser sofisticado. O número mínimo de pratos de um jantar à francesa é de uma entrada, dois pratos quentes, dois acompanhamentos e duas sobremesas. Essa quantidade não pode ser diminuída. Nos menus mais requintados é servido o sobert, um sorvete muito leve, de fruta cítrica com pouco açúcar, que serve para tirar o gosto do prato anterior, preparando o paladar para a iguaria seguinte.

O consommè, que vem servido individualmente da copa, os pratos e alimentos são oferecidos pela esquerda do convidado; as bebidas e talheres de sobremesa são oferecidos pela direita, assim como para retirar os pratos. As bebidas são servidas pelo garçom cabendo-lhe manter os copos abastecidos, evitando garrafas sobre a mesa. A travessa vem acompanhada de um talher para que o próprio convidado de sirva. Começa-se a servir a mulher que está à direita do dono da casa, depois à da esquerda. Somente após servir todas as mulheres é que os homens são servidos. Primeiro o que está à direita da dona da casa, por último, o anfitrião.




Mise en place

A disposição dos pratos e talheres devem seguir uma norma e serem dispostos a dois dedos da borda da mesa. À esquerda do convidado, ao lado do prato, ficam os garfos e o pratinho com pão. À direita ficam as facas e as colheres, que devem ser dispostos na ordem de uso, ficando mais distantes do prato os que serão usados em primeiro lugar. Os talheres de sobremesa podem ser colocados transversais acima do prato ou podem vir quando for servida a sobremesa.

O guardanapo, dobrado verticalmente, fica à esquerda dos garfos. O copo de água deve ficar acima da ponta da faca e o copo de vinho à direita. As bebidas devem circular desde a chegada dos primeiros convidados, preferencialmente em uma sala separada da mesa de jantar onde todos poderão iniciar um clima de descontração. Durante o jantar, serve-se primeiro a água, depois os vinhos de acordo com os pratos.

Bebidas e sobremesa

A água é a primeira e a última bebida a ser servida. Embora existam normas para servir vinhos, o importante é gosto de cada um. Logicamente os vinhos brancos secos ou semi secos são apreciados com paladar dos peixes e crustáceos; e os vinhos tintos acentuam melhor o paladar das carnes, aves e massas. Os vinhos doces e o champanhe são mais apropriados para a sobremesa e os brindes, quando houver. O Champanhe pode ser servido durante todo o jantar, desde que seja Brut.

O brinde dá início ao jantar. Em situações formais, na hora do brinde, basta erguer o copo um pouco acima depois que a pessoa que comanda o brinde, terminar de falar algumas palavras sobre o momento. Em reuniões íntimas, vale encostar levemente o copo no das pessoas, preferencialmente aquelas que estiverem mais perto, não sendo necessário debruçar sobre a mesa para brindar com os convidados distantes. Dizer "tintim" faz parte do brinde! É importante lembrar que, em qualquer situação, só se começa a beber depois de feito o brinde. Uma vez feito o brinde é obrigatório que a pessoa prove um pouco da bebida, não sendo elegante colocar o copo sobre a mesa sem beber.

Ao servir a sobremesa, os doces terão precedência sobre as frutas. O café pode ser servido na sala de estar, seguido de bombons e licor ou outra bebida digestiva, o que dá um certo glamour e também anuncia sutilmente, o final do jantar.

Related Posts with Thumbnails

Seguidores

Postagens populares